Apesar de estar disponível a partir de meados  dos anos 2000, o Refinanciamento começou a ganhar mais força apenas recentemente no Brasil. Em países europeus e nos EUA, é bem mais comum o uso desta modalidade.

A adesão dos brasileiros acabou crescendo por se tornar mais viável a opção do Home Equity nos últimos anos. Além de se ter mais divulgação e conhecimento sobre o tipo de empréstimo, houve uma queda nas taxas dos juros, que pode servir de motivação  para  a maior procura.

O QUE É?

 

Home Equity é um tipo de empréstimo, também conhecido como Refinanciamento ou Crédito com Garantia de Imóvel (CGI). A pessoa que decide por essa modalidade de empréstimo, passa seu bem para o credor – no caso, o  banco – até que seja feito o pagamento da dívida. 

 

COMO FUNCIONA?

Você empresta seu imóvel ou terreno quitado ao banco e consegue crédito, em forma de dinheiro. A  preferência é por imóvel residencial. Contudo, você pode seguir morando ou usando o local. O imóvel,  na realidade, serve como garantia para o banco que você quitará sua dívida.  Esse crédito pode servir para diversos propósitos. Pode ser por necessidade, oportunidade ou até para realização de um sonho. 

O imóvel deve ser quitado e estar no nome do contratante, que ter entre 18 e 80 anos. Algumas instituições financeiras já não aceitam considerar o empréstimo para pessoas a partir de 74 anos. Pessoas mais velhas têm mais dificuldade de serem aprovadas para o Home Equity, pois é um crédito a ser pago a longo prazo, geralmente mais de 10 anos.

Existem três modalidades que podem ser escolhidas:

  • IPCA – A sigla remete  a Índice de Preços ao  Consumidor Amplo e  representa  oficialmente a variação da inflação  no  país. Como opção do  Home  Equity,  é aplicada  uma taxa a partir  de  0,6%  ao mês + o IPCA, em um  financiamento de até 50% do imóvel em até 15 anos.
  • TR – conhecida como Taxa Referencial. O  valor já sobe um pouco, com a TR, as taxas se iniciam em 0,7% ao mês, o financiamento de também em 15  anos, mas chega até a 60% o valor do imóvel.
  • Taxa fixa – bem  parecido com a TR. Taxas de, pelo menos, 0,8% ao mês,  em até 15 anos e 60% do valor do imóvel.

BENEFÍCIOS

O Home Equity é um modelo de financiamento mais flexível. Você não  precisa comprometer de 50 a 60% do seu imóvel, apenas o necessário para suas dívidas ou projetos. Assim como não é necessário levar 15 anos para pagar essa dívida. Tem como se  planejar para quitar a dívida no tempo que é viável para você e de acordo com sua situação.

Considerando outras linhas de crédito, como o consignado, a operação se torna mais segura tanto para o credor quanto para o devedor. Assim como se torna mais barata para quem paga, por conta das taxas. É um tipo de empréstimo que tem uma porcentagem baixa de inadimplência. 

A modalidade pode ser utilizada para diversos fins. Seja para viajar, para reformar a sua casa, para pagar diversas dívidas, é possível conseguir esse empréstimo. Principalmente para quem tem problemas financeiros, não é necessário vender o imóvel para “resolver a vida”. Basta procurar as opções de Home Equity, solucionar as questões financeiras e se programar corretamente para  pagar o empréstimo. Por ser a longo prazo, a pessoa que estava, provavelmente, passando aperto consegue ter mais tempo para lidar com tudo e continua com o imóvel próprio.

PERIGOS DO HOME EQUITY

Recentemente, alguns bancos apostaram em propagandas do modelo de empréstimo. A grande divulgação se deve pela baixa as taxas de juros. Pode ser um ponto benéfico ao cidadão, assim como pode ser um perigo. 

Estamos passando por um momento delicado na economia. A crise não tem previsões para uma estabilização. Muitas pessoas estão sofrendo com dívidas, com a falta de dinheiro e o aumento constante no preço. As taxas de desemprego também estão batendo recordes este ano. 

Assim, as pessoas que estão passando por uma  grande dificuldade financeira, veem o Home Equity como uma grande oportunidade, principalmente pelas taxas de juros baixas. Contudo, no contrato, o  seu imóvel é garantia e caso não consiga pagar a dívida, seu imóvel próprio quitado é tomado pelo banco.

  Nessa situação, ocorre a Alienação Fiduciária, em que o banco notifica o devedor, dá um prazo de 15 dias para receber o pagamento e caso não receba ou as partes não consigam chegar a um acordo, o banco paga os impostos e toma o imóvel. 

Um dia de atraso no pagamento pode me fazer perder o imóvel? Não! Geralmente, nem uma inadimplência maior gera a perda do imóvel. O interessante sempre é negociar primeiro. Contudo, o melhor é se atentar ao contrato e no menor sinal de impossibilidade de pagamento, avisar e negociar com o credor. 

O perigo é justamente acreditar nas baixas taxas e colocar o seu imóvel em risco. Talvez as enormes dívidas que você tenha não colocam em perigo a segurança do seu imóvel. Considere que são até 15 anos juntando as taxas, o que pode gerar um valor bem alto.

Um planejamento, ao almejar o Home Equity – assim como qualquer financiamento – é essencial. Mesmo que seja mais flexível, tenha taxas boas, seja seguro, pode comprometer aquilo que você pode ter levado anos para quitar.

 

Gostou do conteúdo? Fique atento ao nosso blog para mais assuntos como esse. Se tiver mais dúvidas, entre em contato com a gente ou escreva aqui nos comentários.