Está na dúvida se você deve comprar ou alugar um imóvel? Veja como os juros baixos podem te beneficiar.

A taxa Selic chegou em seu menor nível histórico, de 2% ao ano e isso é uma ótima notícia para quem deseja comprar ou alugar um imóvel! Talvez você esteja se perguntando o por quê, e nós te explicamos: a taxa Selic influencia os juros do crédito imobiliário.

A queda da taxa Selic reflete diretamente no momento de se financiar um imóvel, já que, com a queda dos juros ao ano (que atualmente variam de 6,75% a 8,10%), hoje é 35% mais barato financiar um imóvel do que a dois anos atrás, assim como diz o Fábio Tadeu Araújo, economista e sócio da consultoria Brain. 

Para deixar ainda mais claro o que isso significa e o que implica em seus investimentos, destrinchamos algumas das informações mais importantes que você deve saber na hora de negociar um imóvel:

Em quais cidades o investimento é mais vantajoso?

Antes de comprar ou alugar um imóvel sem nem pesquisar sobre isso, é importante ter calma e verificar qual o comportamento do preço médio de venda, que varia conforme cada município. É importante fazer essa investigação principalmente porque o índice FipeZap, que traz o preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades, apresentou em agosto alta nominal de 0,37%, uma variação maior do que o comportamento normal.

 

Dentro das cidades que foram avaliadas, Florianópolis se destaca com um aumento nominal em seu preço médio de +5,82%, seguido de Curitiba, com +4,65%, e Belo Horizonte, com +3,84%, isso significa que o preço do imóvel para venda está maior, portanto, se trata de uma oportunidade para aqueles que desejam vender, mas não necessariamente para quem quer comprar. 

 

O oposto se aplica para Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro, estas cidades tiveram uma queda de -7,25%, -4,82% e -0,73% respectivamente, sendo que a principal explicação para tal queda foi o impacto da pandemia, sendo assim, estas cidades apresentam uma oportunidade de compra, mas não de venda.

 

O aluguel será rentável?

Se você está pensando em comprar um imóvel para alugá-lo e deseja saber se o negócio vai ser rentável e lucrativo, você deverá levar em conta a razão entre o preço médio da locação e o preço médio de venda dos imóveis. O índice FipeZap também mede esse coeficiente, ele aponta que o retorno médio do aluguel residencial encerrou o mês de julho em 4,82%, algo ótimo para aqueles que desejam ter um investimento mais seguro e livre de grandes riscos, é isso que a economista Deborah Seabra afirma: “Olhando para outras formas de investimento, fica cada vez mais claro para o investidor mais conservador, que o mercado imobiliário é uma boa oportunidade de investimento em termos de segurança e retorno”.

Vale lembrar que você deve contar o IPCA neste cálculo e comparando com ele, o preço médio de locação residencial acumula alta real de 1,78% em 12 meses, sendo que as cidades que se destacam são: Recife, Curitiba, Belo Horizonte, Florianópolis, Brasília, Porto Alegre, Goiânia e São Paulo. Isso significa que com a queda na taxa básica de juros, a relação entre o valor do aluguel sobre o preço do imóvel está ótima, sendo assim, a renda do aluguel acaba compensando o investimento do imóvel.

Quanto tomar iniciativa?

Apesar do mercado estar muito favorável para se adquirir um imóvel, é muito importante pesquisar a fundo antes de se tomar uma decisão definitiva sobre um investimento imobiliário. E a internet pode ser sua aliada, já que ela permite grandes pesquisas na hora de se comparar imóveis e as possibilidades de cada um deles.

 

Caso você não tenha condições de dar um bom sinal de entrada, procure imóveis que não comprometam tanto a sua renda. Investimento de menor custo pode ser uma ótima alternativa, já que o investidor ganhará um retorno com base na valorização do imóvel, vendendo-o ou trocando-o após um período médio de tempo (5 a 8 anos) e assim, quitando a dívida e usando o pagamento para a compra de outro imóvel.

O que é melhor de acordo com meus planejamentos pessoais?

É importante levar em conta também seus planos para um futuro próximo! Portanto, você precisa entender exatamente qual investimento faz mais sentido para seu momento atual e para que seus objetivos sejam concretizados. 

Lembre-se que a compra de um imóvel, ainda mais quando financiado, é algo sério e que pode ter implicações a longo prazo, o mesmo não se pode dizer sobre o aluguel, que de certa forma dá mais liberdade ao morador quanto a mudança e comprometimento financeiro. Por isso, você deve analisar a sua situação, tendo em mente que:

É mais vantajoso alugar em casos de:

  • Mudança temporária;
  • Planos incertos sobre ter uma família;
  • Planos de mudar de país, estado ou cidade;
  • Não ter como pagar a entrada de um imóvel.

 

É mais vantajoso comprar em casos de:

  • Sem planos de mudança para os próximos anos;
  • Construção de patrimônio;
  • Investimento e rendimento;
  • Ter capital suficiente para dar entrada e pagar o financiamento.

 

Como dissemos, cada caso é um e escolher entre comprar ou alugar depende bastante da sua situação e do planejamento para o futuro. Não se esqueça de fazer os cálculos necessários para se assegurar na hora de escolher um caminho e avalie detalhadamente quais implicações a queda da taxa Selic tiveram em sua cidade. Esta pode ser a oportunidade para um futuro próspero para você e para sua família!