Para quem é de fora de São Paulo, o bairro do Brás geralmente representa uma área comercial de atacados de roupas. Até para os próprios paulistanos, muitas vezes a imagem que vem a cabeça ao falar do Brás é de uma confusão, ruas cheias, gente por  todo o  lado.

Contudo, o que muitos ainda não se atentaram é que o Brás conta com uma área residencial bem tradicional. Recentemente, houve um boom de condomínios sendo montados no bairro, e a Front Imobiliária tem alguns empreendimentos que podem ser seu novo lar ou investimento.

Origem

O bairro como uma chácara e uma capela em homenagem ao Senhor Bom Jesus de Matosinho, lá pelo ano de 1769. Isso atraiu algumas pessoas, que construíram casas por ali. Assim como em 1827, quando São Paulo foi uma das cidades escolhidas para sediar  uma Academia de Direito.

Contudo, a cultura do café que mudou de vez a região. Durante essa época, muitos  imigrantes italianos chegavam ao Brasil. Eles desembarcavam em Santos, pegavam  o trem –  que já existia ali – e desciam na estação Braz, onde tinha a Hospedaria dos Imigrantes. Muitos desses italianos se estabeleceram por lá. O bairro era considerado  como uma pequena Itália.

Ao mesmo tempo, pequenas fábricas eram montadas por ali. Alguns pequenos negócios também começaram a aparecer ao redor da estação. Trazendo, cada vez mais, urbanização para o bairro e para a cidade.

Anos depois, os nordestinos que migraram pra São Paulo por conta da seca começaram a se estabelecer no mesmo local. Isso abriu um espaço para um comércio nordestino de roupas e comida.

 

1- Culinária

O Brás é um bairro multicultural. Com o passar dos anos, gente do mundo inteiro se instalou lá. Junto com as pessoas, as culturas também vieram e se apresentam em forma de comidas. 

Lá é possível comer uma pizza italiana no sábado, almoçar um bacalhau tradicional português no domingo, fazer o happy hour em um pub na sexta, comer uma feijoada típica brasileira na quarta-feira, experimentar uma delícia da culinária árabe durante um dia de semana.

Tudo isso no mesmo bairro!

E tem um bônus. Há mais de cem anos, no mês de junho se celebra a Festa de São Vito, um padroeiro italiano. Apesar de ser, inicialmente, religiosa, é aberta ao público. Cerca de 20 mammas preparam comidas tradicionais italianas para mais de 400 pessoas por dia. No local, também acontecem algumas apresentações de música ao vivo. 

 

2- Praticidade

Apesar de darmos foco para a área residencial, é importante reconhecer que a parte comercial do Brás é uma vantagem. A poucos metros de casa, os moradores podem encontrar de tudo um pouco e por um preço bom.

As famosas roupas do Brás estão pertinho. Alguns dias são reservados para compra no varejo, então não é necessário ter um CNPJ para comprar nem comprar diversas peças iguais. Algumas lojas não estão nem mais fazendo isso em só um dia da semana, por exemplo.

Tem os restaurantes já citados, mas também tem muitos ingredientes. A Zona Cerealista está dentro do bairro. Lá você pode comprar diversos tipos de produtos, geralmente naturais, a granel e por um preço muito bom. Temperos, frutas secas, grãos… Tudo para compor e incrementar os sabores da sua cozinha. 

A área é rodeada de armarinhos, lojas de utensílios para casa. Sem contar que é perto da 25 de março. Dá pra ir a pé, inclusive.

 

3- Perto de  tudo

Complementando o item anterior, além de ser perto da famosa 25 de março, também é do Mercadão. Então daria para almoçar um pastel de bacalhau ou um sanduíche de mortadela, bater uma perna nas lojinhas e logo estar em casa.

Se gostar de um programa pra exercitar a cabeça, dá pra ir a pé também pro Catavento cultural. O Catavento é um museu interativo sobre ciência. É para todas as idades, um passeio bem legal. E caso você não queira andar, é só uma estação de metrô de distância.

 

4- Transporte fácil

O perto de tudo se complementa e se firma com a  facilidade que é se locomover do Brás pra São Paulo e região (enquanto houver trilho de trem).

Na estação Brás é possível pegar uma linha do metrô e trens da CPTM. Isso deixa muito fácil de se locomover para qualquer local perto de uma estação. E a estação é perto da área residencial. Alguns moradores dizem que o que levaria mais de uma hora de carro, leva cerca de 20 minutos ou meia hora.

As linhas que a estação Brás comporta são:

-Linha 3, Vermelha,  do  metrô. Vai de Corinthians – Itaquera até Palmeiras – Barra-funda;

-Linha 10, Turquesa, da CPTM. Vai de Rio Grande da Serra, passa por várias cidades da Grande São Paulo, com a parada final na própria Brás.

-Linha 11,  Coral,  da CPTM. Começa em Estudantes, tem a possibilidade de uma transferência interna, que passa pela Brás e se encerra na Estação da Luz. 

-Linha 12, Safira, da CPTM. Com ela, você pode ir do Brás até Calmon Viana.

São diversos caminhos, atividades, compras a se fazer. E tudo isso saindo de um só lugar.

E  aí,  o que acha de morar no Brás?

Entre em contato com a gente para dar olhada nos nossos imóveis de lá.