Uma série de fatores fazem com que os números do setor imobiliário flutuem todos os anos – da quantidade de unidades construídas até o crédito disponibilizado para financiamentos; de novas formas como os imóveis são oferecidos até o surgimento de novas composições familiares que geram novas demandas de empreendimentos.

Aspectos econômicos e sociais influenciam no aumento ou na diminuição da procura por novos lares e ao mesmo tempo criam altas ou baixas nos valores dos imóveis ofertados.

Será que esse é um bom momento para investir no setor? O que 2020 promete para quem procura apartamentos para comprar ou busca liquidar o próprio imóvel?

Segundo a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção, houve um aumento de 4% nos lançamentos e de 9,7% nas vendas de imóveis.

O que se espera é fechar o ano com crescimento posicionado entre 10% e 15% e a expectativa é que essa boa notícia seja consolidada pela procura de imóveis de médio e grande porte. Mais perspectivas favoráveis?

O SBPE disponibilizou a informação de que R$ 5,77 bilhões foram liberados para credito imobiliário durante o mês de abril. Esse número aponta alta de mais de 40% em relação ao mesmo período de 2018.

A FGV (Fundação Getúlio Vargas) trouxe em pesquisa que até 2025 o país demandará a construção de 14 milhões de novas moradias. O que se pode observar é que o mercado experimentará um ritmo acelerado durante os próximos cinco anos.

Esse crescimento indica que o momento de comprar é agora pois mesmo com o setor em crescimento, a economia do país vive um momento desfavorável e o real segue desvalorizado. Com isso, o valor dos imóveis também se mostra reduzido e apresenta uma boa oportunidade em 2020 de fazer negócios para quem busca investir no setor.

Segundo economistas, a baixa da economia antecede uma onda de crescimento que pode inflacionar os valores dos imóveis a partir de 2021, aumentando os lucros de quem realizou investimentos nos últimos anos.

Fonte: JMAIS